O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Chris Bathgate, A Cork Tale Wake

bathgate.jpg

Bathgate disponibiliza aqui (mais) um estudo em disco sobre as potencialidades da música folk, onde a simplicidade da voz e dos arranjos relembram a origem tradicional do género, onde o quotidiano é descrito através de melodias simples. A guitarra é, definitivamente, o ponto forte do disco, não através de complicados solos (para os quais Bathgate estaria à altura, já que é um guitarrista de grande talento) mas através do destaque que é dado a este instrumento, ora a entrecortar silêncios pertinentes ora a servir de base melódica para todos os temas do disco. É notório que há temas onde é a guitarra que fala e tal feito não é qualquer músico que consegue. A voz é agradável, mas nunca assume lugar de destaque. A Cork Tale Wake é um disco simpático, feito com bom gosto e sinceridade. Só por isto, vale a pena ouvi-lo.

Nota de Sal: 7.5/10
Referências: Teddy Thompson, Scott Matthews

Advertisements

1 Comment»

  NakedSelf wrote @

Acho que a voz tem destaque no tema Serpentine, já aqui apresentado e comentado, onde a alternância entre a voz e o instrumental resultam muito bem. É um disco com bom gosto e sincero, sim.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: