O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Jeremy Jay, A Place Where We Can Go

A cauda longa da edição discográfica tem destas coisas. Democratizem a produção e a distribuição musical e é possível que um fenómeno localizado se torne realmente global. A Place Where We Can Go é o registo de estreia de Jeremy Jay, mais um cantautor talentoso que se junta à longa fila de artistas que correspondem a este perfil. Jeremy distingue-se pelo aspecto pouco polido e DIY da sua música pelo carácter casual que letra e música parecem ter. Como se viesse a traulitar uma música no caminho para casa, tendo decidido gravá-la de imediato ao primeiro take. O que poderia ser um risco mal calculado acaba por resultar de forma eficiente e bem conseguida. Mas é certo que alguns temas ganhariam mais vida com uma produção mais cuidada. As letras são bem razoáveis e caracterizam um autor que parece viver entre dois mundos, nenhum deles o real. É difícil perceber para onde quer ir Jeremy Jay, mas isso também não parece ser o mais importante. Trata-se de um disco interessante no geral, com dois ou três momentos realmente bem conseguidos.

Nota de Sal: 6/10
Referência: Adam Green

Advertisements

No comments yet»

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: