O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Archive for Antony

Hercules & Love Affair, Self titled

hercules.jpg

Ora aqui está uma boa desilusão. A colaboração entre a dupla Hercules & Love Affair com músicos de uma onda musical diferente como é Antony suscitou curiosidade e expectativa. O single Blind deixou até a promessa de sucesso para este disco conceptual. O problema é que o disco no seu todo nunca consegue ir além do que é mostrado em Blind. É verdade que a voz de Antony resulta sempre bem e enquadrada, o que de si já é obra. É verdade também que os beats seventies continuam a fazer sentido e são responsáveis pelos melhores momentos, True False Fake Real ou Raise Me Up. Mas o que soava a original aproxima-se com perigosa frequência do lounge. E sinceramente não era disso que se estava à espera. Quem puder ficar pelo single, não fica mal. De resto, nada de novo para além de ver Antony a cantar sem fazer chorar as pedras da calçada.

Nota de Sal: 5/10

Advertisements

Antony na pista de dança?

Os Hercules & Love Affair são um duo de DJs de Nova Iorque, que fazem parte do catálogo da DFA de James Murphy (LCD Soundsystem). Estão a menos de um mês de lançar o disco de estreia, mas já roda por aí o appetizer. O single Blind conta com a participação de Antony e não, não é mais uma música de fazer chorar as pedras da calçada. Os os H&L A recuperam o ambiente disco dos anos 70 e cometem a proeza de fazer com que a voz de Antony entre a matar. Prometedor.

Feliz Natal

column_xmas-lights.jpg 1223_christmaslights.jpg

Em vez de músicas de Natal, a minha proposta são músicas para o Natal. Podem ser, de alguma forma, associadas ao Natal, quer pelo conteúdo de algumas letras, pelos timbres ou pelos instrumentos usados. Este é o meu presente para os nossos leitores diários e ocasionais, para os que lêem tudo e para os que só clicam, para quem está farto das musiquinhas festivas e quer dar à família uma alternativa musical, cheia de espírito e, perdoem-me a imodéstia, bom gosto. Se a tia-avó franzir o sobrolho, digam-lhe que é moderno, que agora o Natal é assim.

A compilação está dividida em duas partes (imagens acima), cada uma cabe num CD.

Tracklist

Soundz4Xmas 1:

O Come, All Ye Faithful: Belle and Sebastian
God Knows: El Perro del Mar
Divine: Antony and the Johnsons
Let the Happiness In: David Sylvian
Jesus Loves Me: Cocororie
Fallen Snow: Au Revoir Simone
Do You Realize??: The Flaming Lips
Une Année Sans Lumière: Arcade Fire
I Guess I’ll Forget the Sound, I Guess, I Guess: Bodies of Water
A Feast Of Friends: Jim Morrison
Tappmarschen: Hedningarna
Hallelujah: Jeff Buckley
Sister Winter: Sufjan Stevens

Soundz4Xmas 2:

Smells Like Teen Spirit: Patti Smith
Personal Jesus: Johnny Cash
Nature Boy: Lisa Ekdahl
Side of the Lord: Lavender Diamond
Eternal Flame: Joan as Police Woman
Hour For Magic: Jim Morrison
Radio Ballet: Eluvium
St. Augustine: Band of Horses
A Beautiful Peace: Robert Wyatt
Sea of Love: Cat Power
All is Full of Love: Bjork
Last Flowers: Radiohead
Beautiful: The Smashing Pumpkins
The Million Dollar Baby: Richard Swift
Love Knows (No Borders): Howe Gelb
Altar Boy: Tom Waits
I Was Born: The Magnetic Fields
Jinglebell Rock: Arcade Fire

nunoromano

Hora do bolo

Para quem quis ouvir e não teve possibilidade, aqui fica.

Tracklist:

Cocorosie – “Terrible Angels”
Vetiver – “Idle Ties”
Feist – “Le Même Histoire”
Zita Swoon – “About The Sucessful Emotional Recovery Of A Gal Named Maria”
Patrick Watson – “Weight Of The World”
Bat For Lashes – “Sad Eyes”
iLiKETRAiNS – “Death Of An Idealist”
Bob Dylan – “It Ain’t Me, Babe”
Cat Power – “Stuck Inside Of Mobile With The Memphis Blues Again”
Antony & The Johnsons – “Knockin’ On Heaven’s Door”
Radiohead – “Nude”
Sigur Ròs – “Staralfur”
The Smiths – “Heaven Knows I’m Miserable Now”

Comentários, reclamações e insultos aqui, sff.

Se forem mesmo masoquistas, a hora vai novamente para o ar no domingo da próxima semana, às 16h.

nunoromano

156 bpm, good times galore

“… deixemo-nos de pieguices, nós que, em segredo, as adoramos.”, António Lobo Antunes

Há momentos de êxtase difíceis de explicar, por mais que nos preparemos para eles. E depois fica-se neste impasse de não conseguir encontrar o modo de expressão adequado e de haver uma qualquer força a empurrar-nos para a frente do palco para fazermos uma macaquice qualquer. Algo que mostre que o momento é especial e que acabámos de testemunhar algo único.

Às vezes é possível achar essa forma de expressão numa frase, numa cena de um filme ou numa passagem de um livro. Ou na música, sempre na música. Foi nela que encontrei o conforto melódico e expressivo, uma casa para as emoções do fim da tarde. Assim:

Mellon Collie and the Infinite Sadness: The Smashing Pumpkins
Everyday Is Like Sunday: Morrissey
Anyone Can Play Guitar: Radiohead
The State I Am In: Belle and Sebastian
Ziggy Stardust: Bauhaus
Do You Realize??: The Flaming Lips
The One You Love: Rufus Wainwright
The Certainty of Chance: The Divine Comedy
Le Soleil Est Près de Moi: Air
Fistfull of Love: Antony and the Johnsons
Ocean Of Noise (by Arcade Fire): Calexico
Bachelorette: Björk
Ob-La-Di, Ob-La-Da: The Beatles
Up With People: Lambchop
JCB: Nizlopi
The Times They Are A-Changin: Bob Dylan
Severance: Dead Can Dance
Starálfur: Sigur Rós
Looking for Astronauts: The National
Só Tinha De Ser Com Você: Elis Regina E Tom Jobim
Glory Box: Portishead
Let’s Pretend: Tindersticks
Personal Jesus: Johnny Cash
Summer Days In Bloom: Maximilian Hecker
Inquietação: JP Simões
Who By Fire: Leonard Cohen
Eu E Voce (Me and You): Stan Getz with Astrud Gilberto
O Filho Que Eu Quero Ter: Vinicius de Moraes

nunoromano