O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Archive for British Sea Power

Take 7

Time to Pretend: MGMT
Hang Them All: Tapes N’ Tapes
Cheap and Cheerful: The Kills
Mr. E’s Beautiful Blues Remix: Eels
Elvis: These New Puritans
Feel the Love: Cut Copy
We Are Rockstars: Does It Offend You, Yeah?
Raise Me Up: Hercules & Love Affair
Young Love: Mystery Jets
Cruel to be Kind: Nick Lowe
The Couples: The Long Blondes
Dig Lazarus Dig!!!: Nick Cave & the Bad Seeds
When They Come to Murder Me: Black Francis
Stormy High: Black Mountain
I Got Mine: Black Keys
Tomorrow: Clinic
Island on the Coast: Band of Horses
Down on the Ground: British Sea Power
Deft Left Hand: Babyshambles
Basso Profundo: Devotchka

Session #3

Terceira emissão do Podcast do Sal da Língua com:

No Lucifer: British Sea Power
This Trumpet in My Head: Lykke Li
Mercy: Duffy
Chasing Pavements: Adele
Aretha Sing One For Me: Cat Power
Valerie: Mark Ronson Ft. Amy Winehouse
Things Ain’t Like They Used to Be: Black Keys
Whale Song: The Mumlers
Little Garçon: Born Ruffians
I’ve Seen It All: Bonnie ‘Prince’ Billy
I Put A Spell On You: Eels
Sweet Dreams (Are Made of This): Yo La Tengo

British Sea Power, Do You Like Rock Music?

britishseapower-doyoulikerockmusic.jpg

Tem sido com imenso gozo que tenho vindo a ouvir este disco e falar sobre estes quatro tipos do countryside britânico que levam o rock desta forma tão respeitosa é um gosto ainda maior.

Desde a sua formação em 2000 que os British Sea Power se habituaram a tocar ao vivo nos locais mais improváveis. Fizeram questão de ir tocar às terriolas britânicas de quem a maioria dos Ingleses nunca ouviu falar e apresentaram-se nas espeluncas mais saloias de Inglaterra. Tudo em busca da identidade rock, e numa escala maior, á procura da própria identidade britânica. Encaram de frente os episódios históricos mais sombrios e esquecidos da História do país natal e exibem com alarde a memorabilia de outrora na forma de vestuário e bandeiras da época. Cantam as catástrofes naturais (Canvey Island) e as batalhas perdidas. Com ligação aos movimentos migratórios na Europa da actualidade (Waving Flags). E são uma banda verdadeira rock também por isto. A discussão sobre o que é rock e o que não é tem estado na ordem do dia e os British Sea Power são abertamente rock. Talvez como poucos ainda o sejam. Portanto, a resposta à pergunta colocada no nome do disco é sim. Muito.

Numa nota à parte, é curioso como são, visualmente, semelhantes aos nossos Heróis do Mar. As roupas bélicas, a pose orgulhosa, as bandeiras ao vento. Duvido que os BSP tenham alguma vez ouvido falar nos Heróis, mas os pontos comuns são evidentes. A busca da identidade perdida a começar pelos momentos traumáticos, vinte anos depois num país diferente.

Tenho por hábito dizer “Está lá tudo” e é com All In It que abre “Do You Like Rock Music?”. É que está mesmo. Este é o primeiro grande disco pop rock de 2008. Que seja bem-vindo, então.

Nota de Sal: 10/10
Referências: Arcade Fire, Manic Street Preachers