O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Archive for Tindersticks

Quatro bons regressos e um infeliz acidente

A propósito do fantástico Með Suð í Eyrum Við Spilum Endalaust dos Sigur Rós, ocorreu-me que não falei ainda de alguns bons regressos à edição em 2008 de bandas, não direi históricas, mas já com história. Para colmatar a falha, cá vai, em modo resumido:

Podemos começar por The Hungry Saw que, como já alguém referiu, é pura filigrana. Tindersticks em grande forma, a assumirem o lugar que merecem neste género musical que inventaram e reinventaram. Ah, e candidatos a capa do ano.

9/10

Quem regressou também foram os dEUS. Confesso que tolerei num silêncio complacente o tiro ao lado que foi Pocket Revolution, mas exultei com Vantage Point. Metade do disco é dEUS de volta aos velhos tempos e só é pena que estejam a apostar nos singles errados. Tentem antes Oh Your God ou Eternal Woman, são puro dEUS clássico (que frase perigosa, tirada do contexto…). Dará para matar a saudade.

8/10

Este foi um regresso estranho. Os James foram capazes de encerrar a carreira em beleza, com o espantoso Pleased to Meet You, e não precisavam de voltar a tocar num instrumento. Mas Hey Man foi discretamente anunciado e já está à disposição de todos. Resultado: um regresso exuberante aos James do início da carreira, com secções de metais mais próprias de uma banda pop adolescente e refrões de levantar estádios. Felicíssimo regresso.

8/10

E para o fim, Með Suð í Eyrum Við Spilum Endalaust. É a terceira vez que o escuto e as palavras “disco do ano” não me saem da cabeça. Os Sigur Rós introduzir cor nas músicas, foram capazes de respirar fundo. E acho que não preciso de dizer mais nada.

10/10

E para o fim, o pior. O que Third teve de bom foi acabar de vez com as expectativas acerca do famigerado novo disco dos Portshead, tantas vezes anunciado e tantas vezes adiado. Agora escusamos de ansiar por ele, já cá está e é o que é. É tanto ou tão pouco que a banda cancelou a digressão e suspendeu o projecto da banda até ao próximo ano. Acho que fica tudo dito. Um fiasco total para um disco intragável.

4/10

Take 10


Intro Nune: Radiohead
01 Breathing Prana: Chinmaya Dunster
02 To Build a Home: The Cinematic Orchestra
03 New Star in the Sky: Air
04 Jubilee: El Perro Del Mar
05 Skinny Love: Bon Iver
06 Come Tenderness: Lisa Gerrard
07 Teardrop: Massive Attack
08 Anjinho da Guarda: Três Tristes Tigres
09 Delicate: Damien Rice
10 Heartbeats: José González
11 Soon the Spring: Lasse Matthiessen
12 The Source: Deuter
13 Reciting the Airships: Eluvium
14 Divine: Antony and the Johnsons
15 Serpentine: Chris Bathgate
16 Agaetis Byrjun (accoustic): Sigur Rós
17 Fake Plastic Trees (accoustic): Radiohead
18 Severance: Dead Can Dance


19 Lovely Lovely Love: Alaska in Winter
20 Strange Invitation: Beck
21 Sea of Love: Cat Power
22 Just Like a Woman: Charlotte Gainsbourg & Calexico
23 Doctor Blind: Emily Haines & The Soft Skeleton
24 Só tinha de ser com você: Elis & Tom
25 Changes: Seu Jorge
26 Yellow Submarine: The Beatles
27 You My Lunar Queen: Cousteau
28 Boobar: Tindersticks
29 Hey, Don’t You Cry: Stuart A. Staples
30 Serpentine: dEUS
31 Belle and Sebastian: Belle and Sebastian
32 Nature Boy: Lisa Ekdhal
33 Toothpaste Kisses: The Maccabees
34 John Wayne Gacy Jr.: Sufjan Stevens
35 Saddest Vacant Lot in the World: Grandaddy
36 String: Tunng
37 Eternal Flame: Joan as Police Woman
38 Love Will Tear Us Apart: Nouvelle Vague
39 Tire Swing: Kimya Dawson
40 Dream On Girl: Rita Redshoes
41 Seahorse: Devendra Banhart
42 Sacred Mountains: Aniwida And Nik Tyndal
43 JCB: Nizlopi
44 More Than This: Brian Ferry

Take 4

I’m Rollin’ – Solal ft. The Nashville Bluegrass Band
The Grand Duchess of San Francisco – American Music Club
The Flicker of a Little Girl – Tindersticks
Cracking Up – The Jesus and Mary Chain
The Nun’s Litany – The Magnetic Fields
Doves Circled the Sky – Bodies of Water
Cold Shoulder – Adele
Oh My God – Mark Ronson ft. Lily Allen
When a Pretty Face – Adam Green
Gilt Complex – Sons and Daughters
Weekend Without Makeup – The Long Blondes
All My Friends – Franz Ferdinand
Words You Used to Say (Sand Pebbles Remix) – Dean & Britta
Enchanted – Patrick Wolf
Soul Singer in a Session Band – Bright Eyes

Os reis estão de volta

tinder.jpg

Passados cinco anos sobre a última edição oficial dos Tindersticks (Waiting for the Moon) e dois anos sobre Leaving Songs, o último disco a solo de Stuart Staples, os reis do sadcore (catalogação do WMP e do iTunes para os Tindersticks de que nunca mais me esqueci…) estão de volta este ano. Não sei se por uma necessidade emergente de voltar ao estúdio e aos concertos ao vivo, ou se por uma questão de reafirmação, o que é certo é que The Hungry Saw tem edição marcada para Abril deste ano. Madrugada, Cousteau ou The National são sucedâneos naturais da musicalidade Tindersticks que têm tido lugar de destaque nos últimos anos. Mas, como sempre, os aprendizes ficam sempre aquém dos mestres. Diz quem já ouviu que The Hungry Saw é gigante no assumir da personalidade Tindersticks. A voz de Staples ocupa o centro do palco e o resto é magia musical. Pelo que já ouvi, acredito. E tal enche-me de uma alegria profunda.

Deixo aqui Yesterday Tomorrows, um dos doze temas de The Hungry Saw. Está lá tudo.

156 bpm, good times galore

“… deixemo-nos de pieguices, nós que, em segredo, as adoramos.”, António Lobo Antunes

Há momentos de êxtase difíceis de explicar, por mais que nos preparemos para eles. E depois fica-se neste impasse de não conseguir encontrar o modo de expressão adequado e de haver uma qualquer força a empurrar-nos para a frente do palco para fazermos uma macaquice qualquer. Algo que mostre que o momento é especial e que acabámos de testemunhar algo único.

Às vezes é possível achar essa forma de expressão numa frase, numa cena de um filme ou numa passagem de um livro. Ou na música, sempre na música. Foi nela que encontrei o conforto melódico e expressivo, uma casa para as emoções do fim da tarde. Assim:

Mellon Collie and the Infinite Sadness: The Smashing Pumpkins
Everyday Is Like Sunday: Morrissey
Anyone Can Play Guitar: Radiohead
The State I Am In: Belle and Sebastian
Ziggy Stardust: Bauhaus
Do You Realize??: The Flaming Lips
The One You Love: Rufus Wainwright
The Certainty of Chance: The Divine Comedy
Le Soleil Est Près de Moi: Air
Fistfull of Love: Antony and the Johnsons
Ocean Of Noise (by Arcade Fire): Calexico
Bachelorette: Björk
Ob-La-Di, Ob-La-Da: The Beatles
Up With People: Lambchop
JCB: Nizlopi
The Times They Are A-Changin: Bob Dylan
Severance: Dead Can Dance
Starálfur: Sigur Rós
Looking for Astronauts: The National
Só Tinha De Ser Com Você: Elis Regina E Tom Jobim
Glory Box: Portishead
Let’s Pretend: Tindersticks
Personal Jesus: Johnny Cash
Summer Days In Bloom: Maximilian Hecker
Inquietação: JP Simões
Who By Fire: Leonard Cohen
Eu E Voce (Me and You): Stan Getz with Astrud Gilberto
O Filho Que Eu Quero Ter: Vinicius de Moraes

nunoromano