O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

The Accidental, There Were Wolves

Bullets, um dos grandes discos revelação de 2007 foi o meu ponto de entrada para o universo dos Tunng. Em termos pessoais, a folktronica minimalista destes rapazes de Londres foi a maior descoberta que fiz no ano passado. O gosto ficou e as constantes audições de Bullets deixaram água na boca para mais.

Foi então que encontrei acidentalmente este There Were Wolves dos The Accidental. Trata-se de um projecto lateral de vários músicos, entre os quais Sam Genders, líder e letrista dos… Tunng. Os The Accidental incluem também Stephen Cracknell dos The Memory Band, Hannah Caughlin dos Fence Collective e ainda Liam Bailey. A influência de Sam Genders é notória e facialmente se encontram pedaços dos Tunng em There Were Wolves. A diferença estará talvez na componente electrónica, mais acentuada nos The Accidental. De resto, pode-se contar com os cenários e ambientes imaginários que parecem só ter lugar num mundo de fantasia onde o homem vive num estranho equilíbrio com a natureza.

Nota de Sal: 7,5/10
Referências: Tunng, The Memory Band

Advertisements

No comments yet»

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: