O Sal da Língua

Sons organizados de forma a exprimirem uma grande variedade de emoções.

Archive for Adele

Session #3

Terceira emissão do Podcast do Sal da Língua com:

No Lucifer: British Sea Power
This Trumpet in My Head: Lykke Li
Mercy: Duffy
Chasing Pavements: Adele
Aretha Sing One For Me: Cat Power
Valerie: Mark Ronson Ft. Amy Winehouse
Things Ain’t Like They Used to Be: Black Keys
Whale Song: The Mumlers
Little Garçon: Born Ruffians
I’ve Seen It All: Bonnie ‘Prince’ Billy
I Put A Spell On You: Eels
Sweet Dreams (Are Made of This): Yo La Tengo

Advertisements

Take 4

I’m Rollin’ – Solal ft. The Nashville Bluegrass Band
The Grand Duchess of San Francisco – American Music Club
The Flicker of a Little Girl – Tindersticks
Cracking Up – The Jesus and Mary Chain
The Nun’s Litany – The Magnetic Fields
Doves Circled the Sky – Bodies of Water
Cold Shoulder – Adele
Oh My God – Mark Ronson ft. Lily Allen
When a Pretty Face – Adam Green
Gilt Complex – Sons and Daughters
Weekend Without Makeup – The Long Blondes
All My Friends – Franz Ferdinand
Words You Used to Say (Sand Pebbles Remix) – Dean & Britta
Enchanted – Patrick Wolf
Soul Singer in a Session Band – Bright Eyes

Adele, 19

adele.jpg

Existe a tendência recorrente de, após cada fenómeno meteórico e inesperado, aparecerem uma série de réplicas mais ou menos idênticas, mais ou menos necessárias. O fenómeno Amy Winehouse teve tanto de inesperado como de meteórico. Já cansados de tanta reabilitação falhada, de folhetins e novelas, houve a necessidade de procurar e valorizar artistas de valor semelhante, mas sem tanto ruído à volta. Adele é mais jovem que Winehouse, logo traz menos episódios problemáticos em anexo. Não tem problemas de anorexia, antes pelo contrário. Não tem um historial de abuso de álcool e drogas, para além da ocasional noitada. Canta igualmente bem, ou melhor. E as músicas são de uma beleza desesperante, por entre corações partidos e amores impossíveis. Pessoalmente, prefiro esta versão. O soul e a pop recicladas de Winehouse estão lá, mas sem a dose narcótica que já deixa muito a desejar. Muito recomendável.

Nota de Sal: 7/10
Referências: Amy Winehouse, Regina Spektor